Bandeira Branca


Depois de dias estudando sobre várias religiões do mundo e, relembrando histórias e livros que li
nos últimos tempos, cheguei à conclusão que a nossa sociedade, ainda persiste como outrora
infligindo sofrimentos e torturas através do aviltamento dos direitos humanos, do preconceito, da
corrupção, da fome, da miséria e do caos em algumas cidades. Tantos sofrimentos que a
humanidade viveu nas lutas religiosas nas quais vários mártires se entregaram ao sacrifício em
nome de um ideal revelado por Jesus ainda não foi o suficiente para mudarmos nossa concepção de
vida e dilatarmos nossa percepção da mensagem do Evangelho.

Como nas antigas arenas romanas em que milhares de cristãos morreram trucidados, queimados, e sofrendo aflições sem fim, o homem moderno ainda possui seus mártires. Os jovens, sem sonhos e esperanças, que se rendem ao crime e ao trafico, são os mártires do presente. Assim como, há tantos que se vêem feridos em sua dignidade e que sem auto-estima e força interior são frágeis marionetes nas mãos de manipuladores, políticos corruptos, traficantes, representantes poderosos de uma sociedade cruel que transforma o nosso futuro com previsões de tristes expectativas e desesperança.

Não podemos deixar que o desrespeito á liberdade de cada indivíduo, representadas pelo preconceito, pela intolerância religiosa, pelo orgulho de raça e posição social, pela desvalorização do ser humano justo e honesto, pela valorização da mentira, do embuste, e da opressão ao próximo, seja cultivada em nossas salas de aula. Isso leva os nossos jovens e adultos a um caminho sem volta em que a desesperança é expressada na face de todos.

A única saída é investir numa oportunidade de mudança. É, favorecer o crescimento de uma sociedade mais justa e solidária, e nós, “professores” que fazemos do ato de ensinar também uma forma de sobrevivência, deveríamos estar mais conscientes de que a nossa escola e Laica sim, mas precisamos empunhar uma bandeira á frente dos representantes do nosso país, que é a bandeira branca da PAZ, do Amor e da Caridade. Porém, nenhuma destas palavras pode emergir de corações que se encontram carentes de saúde, educação, trabalho e lazer. Parte de nossa missão especial é ajudar nossos educandos a reconquistar a dignidade através de oportunidades de aperfeiçoamento e trabalho de uma forma justa.

Reconstruir caminhos, superar obstáculos e fomentar novos valores é imprescindível para que possamos ter um futuro a esperar, não só procurando cuidar da natureza a nossa volta, mais, também da frágil natureza do ser humano, representada por corações necessitados de cuidados especiais, para que não deixem a ESPERANÇA morrer no terreno fértil de seus corações.

22-04-2007 – Rose Valverde

Pág. 25

Voltar