ARTexto Junho/2001

catedral

Entardecer

Entardecer de sol, de luz.
Sozinha em meu quarto estou
pensando, buscando e não achando
respostas para minhas dúvidas,
alívio para minhas angústias.

Talvez esse reflexo do sol
nas nuvens que estão no céu
guardem um pouco mais da luz
antes que a noite chegue e
nos deixe tristes com a solidão.

Porque será que a noite é tão triste?
Chega de mansinho, escondendo coisas,
iludindo os olhos, trazendo sombras, lembranças,
sensações de nostalgia, pura nostalgia.

Já li em algum lugar que
solidão é noite vazia sem ninguém,
solidão nas ruas, nas casas,
na cama, na sacada,
no olhar que busca a lua,
na lágrima que rola, rola.

Noite salpicada de estrelas.
Lágrimas que refletem as estrelas,
são um brilho de luz,
são um banho de mar,
um mar infinito de nós mesmos ...

Rose Valverde

pag. 11

 

Voltar